sábado, 16 de março de 2013 Pôla Pinto




Vereadores cobraram providencias e apresentaram sugestões.
Os três  vereadores Juscelino  Jales (PR), Anderson Medeiros (PMDB)  e Neto de Baé  (PT), foram escolhidos para  fazer uso da palavra  representando   a Câmara  de Vereadores  na audiência.
O vereador Anderson Medeiros (PMDB), disse que desde o inicio  das atividades do Legislativo  que  vem sendo debatido os efeitos da estiagem que atinge o município. “Várias proposições  já foram apresentadas  buscando medidas que possam amenizar  a falta d’ água”, esclareceu o edil. O vereador defendeu ainda a reativação do chafariz da  comunidade Cacimba  de Baixo  que vai beneficiar os moradores de várias comunidades  próxima   ao chafariz.
 
Já o vereador Neto de Baé  (PT), disse ser solidário a luta dos que estão sofrendo os efeitos da estiagem e colocou o mandato a disposição para o enfrentamento. O edil  reclamou da demora nas ações e da burocracia  que tem feito com que muitos agricultores familiares não possa ser contemplados  com as ações governamentais. “Precisamos de ações concretas que possa diminuir tanto sofrimento”, defendeu o parlamentar.

Já o presidente da Câmara, vereador Juscelino  Jales (PR), destacou a capacidade  de dialogo  que tem tido o movimento social e o Poder Público para buscar soluções para os problemas gerados pela seca. Ele também disse que as ações que vem sendo desenvolvidas pela prefeitura  tem tido grande importância.
Por último, o edil lembrou  que o fenômeno da seca é muito comum  na região, sendo necessário ações estruturantes para represamento de água. “A Secretaria  do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, através de Gilberto Jales, terá um papel importante  para nosso município neste enfrentamento”, enfatizou o presidente.


Prefeito Arthur alencou  ações e prometeu  buscar soluções junto aos governos estadual e federal.
O prefeito Arthur Targino (PMDB), destacou a iniciativa  da Câmara  e dos movimentos sociais  em realizar a audiência, que segundo ele tornando público a situação causada pela seca não apenas para o município, mas para toda região.
O prefeito enumerou várias ações que vem sendo feita por sua gestão através da Secretaria de Agricultura   na zona rural do município. “São ações desde abastecimento e deslocamento de forragem  para o rebanho”,  disse Arthur. “A burocracia tem servido para que muitas ações governamentais demorem”, reclamou ele.
Arthur, reafirmou  que vai continuar  buscando apoio por partes dos governos estadual e federal  para o município para o enfretamento dos efeitos da estiagem, e que ações estruturantes  serão buscada também.” Quero aproveitar e cobrar  uma urgência do nosso secretário Gilberto, para com o município”.
Para garantir o abastecimento na zona rural que vem sendo feito nas cisternas  de placa de 16 mil litros, o prefeito Arthur,   orientou o secretário de Agricultura Paulo Rodrigues, para fazer  de imediato o concerto de todas as cisternas com problemas de vazamento que foi reivindicado.

Gilberto Jales destaca ações do governo do Estado e promete ações para município.
O Secretário  do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Estado, Gilberto Jales, foi o último a fazer uso da palavra no evento. Gilberto, alencou  todas as ações que o governo do Estado vem realizando para combater os efeitos da seca.
Segundo o secretário,  a situação do município de Messias Targino é a da maioria dos municípios que estão vivendo  a mesma  situação e que a seca  começou atingir os municípios da região agreste complicando ainda mais a situação. “Por falta do Estado e do governo federal não tem faltado esforços e dialogo para agilizar as ações”.
Quanto as revindicações que foram apresentadas no documento, o secretário disse que vai levar para conhecimento  dos  membros  do  Comitê Estadual  da Seca  que tem representantes de todas as instituições e que se reúne semanalmente em Natal.
Gilberto, declarou ser possível a instalação e perfuração de novos poços desde que o dono do imóvel autorize o uso comunitário da água. Quanto ao projeto de miniadutora apresentado pelo município em abril do ano passado, o município será contemplado, mas a comunidade terá que ter 30 famílias residindo. E para a reabertura  do chafariz da comunidade Cacimba de Baixo, o secretário disse ser necessário apenas a firmação de uma parceria entre a prefeitura com o governo do Estado para o funcionamento. “Essas são ações  que pode serem agilizadas  para serem implantadas”, concluiu o secretário.


Deixe seu comentário

Tecnologia do Blogger.
Design desenvolvido por Railton Rocha | 84 9667-0229.