quinta-feira, 7 de março de 2013 Pôla Pinto


Dirceu diz que governos Lula e Dilma devolveram autoestima, dignidade e esperança ao povo



Em debate na Assembleia Legislativa, na noite da segunda-feira, 4, sobre o legado dos governos Lula e Dilma, o ex-ministro e ex-deputado José Dirceu afirmou que uma das maiores conquistas destes 10 anos de governo do PT no Brasil foi devolver ao povo “a autoestima, a dignidade e a esperança”.
“O povo reconheceu no governo [do ex-presidente Lula] o governo dele [do povo]”, disse, diante do auditório lotado pela militância petista que o aclamou na chegada ao local. Dirceu fez um balanço dos avanços sociais, econômicos e políticos que se deram na última década no Brasil.


Na avaliação de Dirceu, o crescimento econômico combinado com geração de emprego e distribuição de renda foi a principal marca deixada pelo governo do ex-presidente Lula.
“O país cresceu, gerou empregos e distribuiu renda. O ‘Bolsa Família’ é muito importante, porque há muitos brasileiros que sofrem na pele a dor da fome, mas fizemos muito mais que isso. Geramos 17 milhões de empregos, fizemos a reforma agrária e enfrentamos o maior problema do país, que é a educação".

Dirceu disse que, mesmo contra a vontade da oposição, é preciso fazer a comparação dos 10 anos do PT no governo federal com o período anterior em que o país foi governado pela dupla PSDB-DEM.
“O estado brasileiro não servia ao desenvolvimento do país. Herdamos o país sucateado, transformado em estado mínimo. O abandono do serviço público e as privatizações eram prova disso. Fizemos o estado voltar a ser o grande indutor da economia”, comentou.


O ex-ministro também lembrou da política de crédito aos brasileiros, responsável, em partes, pela criação do mercado interno, atraindo investimentos, movimentando a economia e gerando mais empregos.

José Dirceu destacou também a descoberta do pré-sal, a redução das desigualdades regionais, as conquistas na educação (ProUni, Fies, Fundeb, Pronatec e o piso nacional dos professores) e a política externa brasileira, marcada pela prioridade à integração entre as nações da América do Sul, como exemplos de sucesso do governo petista.


Ele afirmou que a reforma política, a reforma tributária e a regulação da mídia são as três grandes bandeiras do PT. “Temos que fazer um movimento nacional pela regulação da mídia. Eles [donos dos veículos de comunicação] não querem a regulação da mídia porque, no mundo todo, onde isso aconteceu foi com pluralidade”, refletiu.

Para o ex-ministro, a maior preocupação do país nos próximos anos deve ser com os jovens. Ele defendeu o acesso à educação de qualidade e à cultura, a educação integral para as crianças e a universalização do ensino médio técnico.

O ex-ministro terminou o bate-papo com uma convocação à militância do PT com vistas a 2014. "Temos que ter orgulho da estrela do PT e andar de cabeça erguida. Mas temos que ter humildade pra reconhecer nossos erros e saber que ainda falta muito para fazer. Precisamos aprofundar e radicalizar a democracia, porque democracia de elite não serve", concluiu, arrancando aplausos do público.

Solidariedade
José Dirceu recebeu a solidariedade das principais lideranças petistas do Rio Grande do Norte, presentes ao debate na Assembleia Legislativa. O presidente do diretório estadual Eraldo Paiva e do diretório municipal Carlos Araújo saudaram o militante histórico e fundador do Partido dos Trabalhadores.
Os vereadores petistas de Natal Fernando Lucena e Hugo Manso, o vereador do PCdoB George Câmara, o presidente estadual do PCdoB Antenor Roberto, além de vereadores e prefeitos petistas do interior, também estiveram na Assembleia Legislativa para ouvir José Dirceu.

O deputado estadual Fernando Mineiro e a deputada federal Fátima Bezerra exaltaram a história de luta, coragem e serviços prestados à democracia brasileira, principalmente na luta contra a ditadura militar, pelo correligionário José Dirceu.

Mineiro disse que a questão central por trás dos ataques da oposição e da mídia conservadora ao PT e, especificamente, ao ex-deputado José Dirceu é “a disputa política e a disputa de opinião na sociedade brasileira”.

“Precisamos reafirmar o que acreditamos, mas também temos que fazer a disputa pela opinião da sociedade. A razão dos ataques que sofremos é porque não abrimos mão de reafirmar nosso projeto de país, como tem feito o militante Zé Dirceu”, declarou.

Para Mineiro, a disputa pela opinião na sociedade vai além de fazer um balanço dos dez anos do PT na Presidência da República.

“Além de defender o legado de dez anos do PT, temos que lutar pelos dois anos que faltam e para garantir os outros quatro anos para a presidenta Dilma”, conclamou.
Fonte: http://mineiropt.com.br/noticias-29821#.UTY7ajetrc5



Deixe seu comentário

Tecnologia do Blogger.
Design desenvolvido por Railton Rocha | 84 9667-0229.